Notícias

Regionais de Erechim, Passo Fundo, Carazinho e Seberi têm encontro virtual

O Sulpetro promoveu, nesta quinta-feira (24), mais uma edição do evento “Junto com o revendedor”, reunindo as regionais de Erechim, Passo Fundo, Carazinho e Seberi de forma on-line.

“Estamos vivendo um momento de perturbação na revenda devido à pandemia e em função de algumas iniciativas da ANP (Agência Nacional do petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) que poderão impactar nos negócios”, disse o presidente do Sulpetro, João Carlos Dal’Aqua ao abrir o evento. Segundo ele, é importante a participação dos revendedores junto às iniciativas do Sindicato, diante de incertezas no segmento varejista de combustíveis. “Não são ações orquestradas, mas realizadas de forma unida”, frisou.

A Mestre em Gestão e Negócios, Fernanda Aguiar, falou sobre o tema: “Como está a sua comunicação com as equipes de pista e loja?”. Ela destacou que o aumento das interações individuais e coletivas com a tecnologia pode afetar as habilidades sociais e a capacidade de ter empatia. “Precisamos verificar o estilo de comunicação que estamos imprimindo”, disse. Ela também adiantou alguns pontos que serão abordados no Programa de desenvolvimento de líderes para a revenda, a ser realizado a partir de 12 de agosto.

Os serviços oferecidos pela Linx, especializada em soluções tecnológicas em ERP, PDV, digital, autoatendimento e delivery, foram apresentados pelo representante da empresa, João Oliveira. Ele salientou que associados contam com condições especiais na contratação de serviços.

O assessor jurídico do Sulpetro, Cláudio Baethgen, esclareceu sobre o novo sistema de distanciamento do governo do Estado. “A pista é atividade essencial, definida por regramento federal. E o horário mínimo do posto é estabelecido pela ANP, sendo de segunda a sexta, das 7h às 19h”, recordou o advogado

O encontro virtual teve ainda um painel sobre o Programa Jovem Aprendiz. Nele, o assessor jurídico trabalhista do Sindicato, Flávio Obino Filho, frisou que a contagem do número de aprendizes é por estabelecimento. “São, no mínimo, 5% e, no máximo, 15% dos trabalhadores cujas funções demandem formação profissional”, explicou.

Já o supervisor executivo do CIEE-RS, Douglas Aprato, listou os cursos oferecidos pela organização e adiantou que, no próximo semestre, terão uma linha de formação de frentistas, em parceria com o Sulpetro, voltada aos postos de combustíveis do Estado.


Publicidade